Os aproveitadores, e os amedrontados!

Depois de 17 meses das primeiras notícias do surgimento do Covid-19 na província de Wuhan-China, e 15 meses do primeiro caso no Brasil, duas coisas, ainda me causam espanto.

A primeira, são os aproveitadores, não pelo que são, mas sim, por não respeitarem a vida;

A segunda, são como as pessoas, ainda se deixam influenciar, ou se amedrontar, ao ponto de ficarem cegas!

Uma coisa ficou bem clara neste tempo: com raras exceções, nem tragédia, nem calamidades, mudam ninguém.

As pessoas, são o que são!

No dia 08/04/21, escrevi um artigo para o Agora Notícias Brasil, com o título “A Ciência como manipulação — Lockdown não é ciência”, deixando claro, que quarentena existe para isolar contaminados, paciente zero, ou comunidades que tiveram contato com ele.

É óbvio, que quando as pessoas saírem do isolamento, e tiverem contato com o vírus, irão se contagiar!

No dia 13/04/21, saiu a notícia de uma Artigo de pesquisa da UFRGS, que dizia que lockdown não funciona.

Alguma surpresa?

Não para mim!

O lockdown, seria para preparar o sistema de saúde, e não para curar ninguém!

Todos, menos os que acreditam nos Srs do caos, sabiam que o vírus simplesmente não iria embora!

Ponto, para quem lucrou com o medo dos desavisados!

No dia 13/04/21, escrevi outro artigo, desta vez, para o Vida Destra, com o título “Não se enganem: eles querem quebrar o país!”, mostrando exatamente, como usaram do medo causado a população, para enriquecimento.

Outro fato, que não dependia de ciência, afinal, não foi o primeiro Sars-Cov (é o 7º), para humanos, que o vírus, que atinge o sistema respiratório, e se propaga pelo ar, dificilmente seria transmitido por superfícies (objetos).

A não ser, que alguém contaminado, espirre, ou coloque secreções nela, e ato contínuo, a outra pessoa, toque na superfície ou objeto!

Temos também, o fato de esconderem o tratamento precoce!

Tem um estudo sobre a eficácia da colchicina, mas, pelo que li, os dois grupos receberam cloroquina e azitromicina, sendo que um recebeu placebo, e outro colchicina.

E, mesmo o grupo da colchicina sendo melhor, e tendo dois óbitos, os dois grupos foram bem, o que significa, que a cloroquina e azitromicina funcionaram bem, e amenizaram os sintomas e a necessidade de oxigênio!

Ainda tem, essa notícia sobre o tratamento precoce da prefeitura de Sorocaba, que para mim, serve como estudo ou pesquisa!

“Ainda de acordo com a prefeitura, um levantamento preliminar realizado pela Secretaria Estadual de Saúde monitorou 123 pacientes com sintomas da doença, após 10 dias do início do tratamento com os medicamentos Azitromicina e ou Ivermectina. Desses, 122 (99,19%) apresentam-se curados em domicílio, após o período de transmissibilidade.”

Medidas de higiene, lavar as mãos, ou usar álcool em gel na impossibilidade de lava-las, não tocar olhos, nariz e ouvidos sem estar com as mãos limpas, usar máscara em ambientes fechados e manter distanciamento seguro, já seriam medidas suficientes, para não se parar a economia!

Só uma coisa, não vai me causar estranheza!

Se o ex-ministro da saúde, que mandou todos ficarem em casa até sentirem falta de ar, for candidato em 2022, e ganhar algum voto.

Definitivamente, o Brasil, não é para os fracos!

Adilson Veiga

Twitter https://twitter.com/Ajveiga2

--

--

--

Pai de família, conservador

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Adilson Veiga

Adilson Veiga

Pai de família, conservador

More from Medium

Patriotism is for the Straight (Guyana)

Students stood attentively as the Golden Arrowhead was raised in 2019 (DPI photo)

Patrick McDowell’s Catholic Fairytales

Holy, queer, saint, sexy and ethical — Patrick Mcdowell’s new collection Catholic’s Fairytail expresses an hot mysticism together with queer identity. A message to younger generation, because religions for too long have impacted the way queer children grow up and internalise homophobia, they, as well as their families, are less capable of accepting, learning and teaching sexuality. Beatrice Tamagnini https://www.bbls.studio/

The Myth Of The Melting Pot

The Weirdest Films of Horror